fbpx

Como escrever um livro que vai arrebatar o coração dos leitores?

Como escrever um livro interessante para os leitores?

Como escrever um livro? Esta é uma dúvida muito comum nas minhas redes sociais. Apesar de trabalhar há 14 anos com foco na divulgação de livros, diariamente tenho contato com escritores iniciantes que não sabem por onde começar a escrever sua obra.

E eu não me incomodo nem um pouco com essas dúvidas. Muito pelo contrário, os maiores escritores não se tornaram best-sellers por acaso. Pode ter certeza de que teve muito estudo e dedicação por trás das obras mais lidas do mundo.

Então, para ajudar você que está iniciando sua carreira como escritor, preparei dicas poderosas sobre como escrever um livro que atraia a atenção dos leitores e desperte neles a vontade de devorar cada página. Confira!

É difícil escrever um livro?

Bom, da mesma forma que você não constrói uma casa sem uma planta ou não faz uma viagem sem um roteiro mínimo, saber como escrever um livro também exige planejamento.

Esta etapa faz toda a diferença entre escritores nunca publicados e aqueles que chamam a atenção de grandes casas editoriais e criam toda uma comunidade de leitores.

Se quiser começar a construir uma carreira literária, você precisa olhar para o seu livro não apenas como uma obra de arte, mas também como um produto comercial.

E tal como um produto, ele deve ser estrategicamente pensado para ganhar espaço no mercado do livro.  Por isso, você precisar seguir um passo a passo e planejar sua estratégia.

Acredite no seu projeto

Não, esse não é apenas um papo motivacional. Acreditar no seu projeto significa ter a convicção de que a sua ideia é excelente e apresentá-la com orgulho às pessoas.

Falo por experiência própria. Durante muito tempo, eu tinha uma tendência de esconder meu trabalho e minimizar minhas conquistas, achando que poderia soar arrogante.

A verdade é que um projeto não se vende sozinho. E se o livro é seu, ninguém melhor do que você, autor, para falar dele e valorizar aquilo que deu tanto trabalho para produzir, concorda?

Estimule o leitor que existe em você

Na hora da escrita, toda e qualquer experiência de vida conta para criar uma história que vai ser lida, mas para ser um bom escritor, primeiro você precisa ser um ótimo leitor.

A leitura é fundamental por dois motivos: para você ter material de pesquisa e para aprender com as histórias de outros escritores e, assim, se tornar um autor experiente.

Não sabe por onde começar? Não se preocupe. Lá no meu Instagram, você encontra 5 dicas de livros que todo escritor deveria conhecer. Dá uma olhadinha e já me segue!

Estude as tendências e seja original

Estudar as tendências do mercado do livro é importante por diversos motivos, mas principalmente para você poder criar uma obra única.

Para ser original, existem dois caminhos possíveis:

  • Criar um projeto totalmente inovador, diferente de tudo que já foi feito;
  • Surfar na onda de alguma tendência que esteja em alta no mercado.

Nesse segundo caso, eu gosto de dar o exemplo de uma das minhas alunas. Palmira Heine é autora de Chapeuzinho no Pelô, uma obra que tem feito muito sucesso por revisitar o clássico dos contos de fadas, só que ambientado na Bahia.

Para quem não tem certeza de que seu projeto é inovador o suficiente, este pode ser um caminho para começar a carreira e depois apresentar algo totalmente original.

Entenda quem é o seu leitor

Seja de entretenimento, autoajuda ou desenvolvimento profissional, o livro é uma experiência que deve ser pensada com o propósito de cumprir um papel nas mãos de um leitor que existe de fato. Mas e aí, como identificar quem é esse leitor?

Para isso, eu gosto de usar o conceito de persona. Trata-se da representação semifictícia do seu leitor ideal, com todas as características que guiarão seu processo criativo.

Para desenhar a sua persona, responda às seguintes perguntas:

  • Qual é a idade do seu leitor?
  • Qual é a ocupação dele? Trabalha? Estuda?
  • Qual é o seu estado civil? Tem filhos?
  • Por quais assuntos mais se interessa?
  • Quais são os seus principais objetivos, desejos, ambições, medos e desafios?

Estabeleça uma rotina de produção

Em Sobre a escrita, Stephen King faz uma imersão em seu processo criativo e, entre outras coisas, menciona que a escrita deve fazer parte da rotina de um escritor.

No caso de um dos maiores autores contemporâneos, as manhãs são reservadas à escrita, enquanto as tardes são voltadas ao descanso, à leitura, ao esporte e à família.

Percebeu como a rotina de um escritor não envolve apenas o trabalho com o livro? Tudo o que você faz além disso contribui para uma produção fluida, frequente e criativa.

#dicadalilian: está com dificuldades de criar uma rotina? Estabeleça um prazo para finalizar o livro ou comprometa-se em entregá-lo para alguém. Deadlines costumam ser excelentes estímulos para focar no que você precisa fazer.

Quais são os elementos de um livro?

Entender sobre o livro enquanto objeto também é importante para você saber como escrever um livro bem estruturado e explorar as características que o formato oferece.

Estes são os principais elementos que compõem um livro:

  • Capa;
  • Contracapa;
  • Primeira e segunda orelhas;
  • Lombada;
  • Cinta;
  • Sobrecapa;
  • Folha de guarda.

Se quiser se aprofundar em cada um desses elementos, tenho um post especial sobre o assunto. É só clicar aqui e conferir!

Quais são as etapas de produção de um livro?

Neste conteúdo, estamos nos debruçando sobre como escrever um livro – ou seja, a primeira etapa da produção editorial –, mas enquanto escritor profissional, você precisa conhecer as demais fases. São elas:

  • Ideia/escrita: processo criativo que resultará no seu livro;
  • Leitura crítica: leitura feita por um profissional experiente no mercado editorial;
  • Revisão/preparação de texto: correção ortogramatical, ajustes de coesão e coerência textual e análise do encadeamento das frases e da lógica do texto;
  • Capa: criação dos elementos gráficos que ilustrarão a capa, a partir de um briefing;
  • Diagramação: estruturação dos elementos internos do livro;
  • ISBN/ficha catalográfica: registro junto à Câmara Brasileira do Livro (CBL);
  • Revisão de prova (impressão): também conhecido como “boneco”, é um exemplar individual do livro que simula a sua versão final, permitindo os últimos ajustes;
  • Impressão: após a revisão de prova, o livro entra em processo de produção gráfica.

Mas então, como começar a escrever um livro?

Muitos escritores reclamam do temido bloqueio criativo que os impedem até mesmo de começar a escrever sua obra. E eu sempre procuro tranquilizá-los com um conselho: a primeira versão do seu livro não precisa ser a versão final!

Isso vale, inclusive, para o título da sua obra. Há quem diga que o ideal é pensar no nome do livro só depois de finalizá-lo, mas eu sou do time contrário.

Então, aqui lá vai mais uma #dicadalilian: sempre comece seu livro com um título, nem que seja provisório e acabe mudando ao longo da escrita. Como o título carrega a promessa da obra, ele será o seu norte durante todo o processo criativo.

Além disso, caso não saiba por onde começar a escrever, você pode usar a técnica de início in media res. Essa é uma expressão latina livremente traduzida para “no meio das coisas”.

O termo é usado na literatura para se referir a uma narrativa que começa a ser contada não pelo seu início, como é de se esperar, mas já pela metade.

A Ilíada, por exemplo, é um clássico grego cujo primeiro canto se passa já durante a Guerra de Troia, não se preocupando em contextualizar o leitor sobre a origem do conflito.

Apesar disso, em alguns casos, como em A odisseia, o autor faz uso de artifícios como flashbacks para evocar episódios anteriores ao início do texto.

Essa é uma técnica muito usada não apenas na literatura, mas também em séries, filmes e games até os dias de hoje. E eu gosto dela porque permite desenvolver a narrativa de forma ininterrupta, como é o caso de J. K. Rowling e as continuações de Harry Potter.

Não pare por aí!

Uma etapa essencial do seu processo de produção é entender a estrutura dos livros além da capa: orelhas, lombada, cinta e mais.

Quer descobrir tudo sobre estes elementos imprescindíveis para a sua obra? Então confira o conteúdo que escrevi sobre este assunto aqui.