fbpx

Vale a pena escrever meu livro à mão? Veja as principais dicas de formatação

Uma das dúvidas mais comuns sobre como escrever um livro, especialmente entre os mais tradicionalistas, é se realmente vale a pena escrever o conteúdo da obra à mão.

Essa é uma decisão única e exclusivamente sua. Eu sempre digo que você deve se sentir confortável para escrever, de modo que isso não o impeça de produzir.

Mundialmente reconhecida por seus livros infantojuvenis, Lygia Bojunga, por exemplo, tem um apego com o papel e prefere criar suas obras à mão, sentindo o cheiro do lápis e a textura do papel.

Entretanto, tenha em mente que, em algum momento, o seu manuscrito deverá ser transcrito para um arquivo digital. Logo, isso exigirá mais tempo de produção e, caso não seja feito por você, poderá custar dinheiro.

Abaixo, listei as principais dicas de formatação para você escrever o seu livro com tranquilidade e organização. Veja só!

Como escrever um livro no Word para publicação?

Saber como escrever um livro no Word ou outro editor de texto facilitará o processo editorial. Por isso, escritores que querem ser publicados e lidos devem pensar nas características do arquivo que será enviado à editora e, posteriormente, ao diagramador.

Estas são as orientações básicas para escrever um livro no Word:

  • Explore as opções de formatação como cabeçalhos, rodapés e numerações;
  • Use os estilos de texto, pois eles farão a hierarquia das informações e facilitarão o índice;
  • Evite usar o botão Enter para pular de capítulo, prefira a Quebra de página.

Abaixo, preparei um guia simples com as dimensões do papel e suas margens:

Formato do livro Tamanho do papel Margens superior e inferior Margens laterais
A5 14,8 cm x 21 cm 2,54 cm 1,91 cm
A4 21 cm x 29,7 cm 2,54 cm 1,91 cm
Pocket 10,5 cm x 14,8 cm 1,50 cm 1,20 cm
Quadrado 20,0 cm x 20,0 cm 2,54 cm 2,54 cm

Quais fontes usar para escrever o livro?

De forma básica, existem dois grupos de fontes tipográficas usadas universalmente. Confira!

Serifadas

São aquelas fontes com “perninhas”. Elas costumam ser usadas em blocos de texto extensos, pois ajudam a guiar o olhar durante a leitura. Exemplos de fontes serifadas:

  • Book Antiqua;
  • Georgia;
  • Palatino Linotype.

Não serifadas

As fontes sem serifa – ou sem “perninhas” –, são mais voltadas a títulos e subtítulos, já que valorizam cada palavra individualmente. Exemplos de fontes não serifadas:

  • Arial;
  • Calibri;
  • Helvetica.

Otimize o seu processo de escrita

Agora que você já entendeu que o melhor caminho é utilizar um editor de texto para escrever e formatar seu livro conforme os padrões exigidos pelas editoras, que tal ir além?

Para te ajudar nesta jornada incrível da sua carreira como escritor, fiz questão de destacar alguns aplicativos que vão facilitar e otimizar a sua rotina. Veja todas as minhas dicas neste post aqui.